Escrevo às vezes numa tentativa frustada de fugir dos meus próprios sentimentos.
"Diga a ela que eu preciso dela. Que ela é mais do que um caso de uma noite. Diga a ela que deixa o meu rosto da cor do meu cabelo. Tudo que eu quero fazer é estar perto. Diga a ela que eu a quero.”
Ed Sheeran.  

Se tem uma coisa que não me larga de jeito nenhum é essa tal esperança. Parece que impregnou nas minhas roupas, na pele, na mente, no cheiro do meu quarto. Ela é a tinta que colore perfeitamente a vida, e cá pra nós, ô vida cinza. É a fumaça das indústrias, a incredulidade dos desiludidos, e que causa um mal devastador. O amor é descartado, a fé nem sempre mora em todos, mas a esperança é reciclável, reutilizável. É o combustível que não prejudica o nosso meio ambiente, o coração que cuidamos tanto, protegemos tanto, mas é sempre desmatado. A esperança são essas pequenas mudas de “vai passar”, “amanhã é outro dia” e que floresce sempre, mesmo que faça chuva ou sol.

Brinque com a minha flor,
abuse de minha dor,
siga o imperativo 
e também as borboletas.

Me faça feliz.

"Feliz aquele que, nessa Era da tecnologia, consegue encontrar alguém que o faça esquecer de olhar o celular.”
Cadi. 
"Com tantos erros por aí, às vezes eu me pego corrigindo os meus acertos.”
Eu me chamo Antônio.
"Falando sinceramente, eu nunca vou te esquecer completamente.”
Cartas para Patrícia.  

meu coração está sobre a mesa
você passou e nem viu
como é estranha a solidão
eu posso sentir tudo e nada
uma multidão sem palavras

©